“O escritório vai continuar existindo, até com mais propósito”, diz presidente da Stone

“O escritório vai continuar existindo, até com mais propósito”, diz presidente da Stone

17 de junho de 2021
Última atualização: 17 de junho de 2021
Helio Gama Neto

ÉPOCA NEGÓCIOS – 17/06/2021

Daniela Frabasile

Para Augusto Lins, o home office no futuro passará a ser uma opção, mas os encontros presenciais ainda serão importantes para manter viva a cultura da empresa.

Se hoje o trabalho remoto é uma necessidade, para manter os tão necessários protocolos de distanciamento social, no futuro, o home office voltará a ser uma opção para os colaboradores. Quem diz isso é Augusto Lins, presidente da Stone. O ano de 2020 trouxe aprendizados para a empresa, que chegou a ter 80% do pessoal em trabalho remoto. “Por mais que sempre tenhamos sido flexíveis dentro da Stone, no último ano fomos obrigados a encarar uma nova forma de trabalhar que, no final das contas, tem funcionado muito bem”, afirma.

O modelo de trabalho para o pós-pandemia, segundo Augusto, será híbrido – a depender da função de cada profissional e suas atividades a cada dia. “Algumas áreas, como a de relacionamento com o cliente, que são centrais para o nosso negócio, devem no futuro a voltar a ter um contingente maior para o presencial”, prevê.

Augusto, portanto, não acredita no fim dos escritórios físicos. “Como o nosso principal diferencial é a nossa cultura e o contato humano próximo, acreditamos genuinamente que isso é fundamental não apenas para os resultados, mas para as nossas relações com clientes, com as áreas internas, e entre times”, diz ele. Os escritórios do futuro serão menos adensados e funcionarão como ponto de encontro para trocas, compartilhamento de sentimentos e para manter viva a cultura corporativa. “Acreditamos que o escritório vai continuar existindo, até com mais propósito. Porque, afinal, trabalhar, a gente já sabe que é possível de qualquer lugar.”

Além do home office ampliado, a pandemia obrigou a Stone a rever seu processo de recrutamento. Foi necessário implementar a tecnologia e reformular os processos, que agora são conduzidos 100% digitalmente, com testes on-line e entrevistas por videoconferência. Aqui, surgiu uma vantagem: a de contratar pessoas em qualquer lugar do mundo. “Isso nos permite identificar potenciais talentos em qualquer lugar do país e do mundo, buscando pessoas com energia, inteligência e integridade independentemente da sua localização”, conta o executivo.

Helio Gama Neto