ANER participa de audiência pública sobre o Direito ao Esquecimento

stf-ministros-carmen-lucia-e-toffoliA Presidente do STF Cármem Lúcia abriu a audiência lembrando que “há um direito a lembrar e a esquecer. Não se pode em nome do esquecer limitar a memória e a história”.

A diretora executiva da ANER Maria Célia Furtado esteve em em Brasília na audiência pública sobre o tema Direito ao Esquecimento no STF (Supremo Tribunal Federal). A audiência convocada pelo Ministro Dias Toffoli teve como objetivo ouvir todos os interessados no tema e tirar dúvidas sobre o impacto à liberdade de imprensa e de expressão de uma possível decisão que permita o reconhecimento do direito ao esquecimento.

 

prof-dr-daniel-sarmento-aner-anjA ANER E A ANJ ( Associação Nacional dos Jornais), foram representadas pelo Prof. Dr. Daniel Sarmento. O advogado defendeu que, no Brasil, o problema nunca foi o”excesso de memória” mas de “amnésia coletiva”. “É mais frequente empurrar problemas do passado para debaixo do tapete para que não sejam enfrentados do que a inundação com informações” O Prof. Dr. Daniel Sarmento ressaltou ainda a importância da liberdade de imprensa e a necessidade de garantí-la como princípio fundamental.

POSTS RELACIONADOS